20 de Janeiro – VISITA INICIAL AO PENHASCO VERMELHO

Sabes também acerca da água e da lua? A água flui continuadamente, ainda assim, a sua essência nunca partiu. A lua continua a aparecer e a esvanecer, ainda assim, a sua esfera nunca aumentou ou diminuiu.

Observando pela perspetiva da mudança, o céu e a terra nunca deixaram de se alterar por um instante; observando pela perspetiva do imutável, todos os assuntos e o “eu” são infinitos. Como tal, o que há para ter inveja?

Para além disso, tudo o que está entre o céu e a terra tem o seu dono legítimo. O que não te pertence, não te deve ser retirado, nem na mais ínfima parte. Só a brisa fresca sobre o rio, a lua brilhante entre as montanhas, aquilo que é escutado pelo ouvido como o som, e visto com os olhos como a forma, são as coisas que podes adquirir livremente e usar sem limite. Tal é o tesouro inacabável do universo que tu e eu desfrutamos.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

19 de Janeiro – PAGODE YUEYANG

Não retires prazer das posses materiais, 
Não expresses autocomiseração. 
Ocupantes do átrio do palácio preocupam-se pelo seu povo; 
Habitantes de distritos remotos preocupam-se pelo seu soberano. 
Progresso causa preocupação, 
Retrocesso também causa preocupação; 
Quando chegará por fim um momento de felicidade? 
Quando um for capaz de 
Encarar como principal preocupação os assuntos do estado, 
E colocar como seu último objetivo a sua própria diversão. 

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

18 de Janeiro – QUANDO A DESVANTAGEM SE TORNA VANTAGEM

A lei do céu funciona de tal maneira que a arrogância trará o mal, enquanto que a modéstia atrai o benéfico. Os espíritos e divindades seguem estas regras, causando as perdas aos que são presunçosos e ajudando aqueles que são modestos.

Desde os tempos antigos, houve ditados bem conhecidos que diziam que a tolerância e a cedência conseguiam erradicar inúmeras calamidades, e nunca que a tolerância e a cedência os causariam.

A prática da tolerância e da cedência começa nas pequenas coisas; da mesma forma como aqueles que estão na prisão também começaram com pequenas coisas. A propósito dos assuntos mundanos, quando um tem a capacidade de tolerar pequenos inconvenientes, estará menos suscetível a encontrar problemas mais sérios. Quando um tem a capacidade de aceitar pequenas desvantagens, estará menos suscetível a encontrar maiores.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

17 de Janeiro – GRANDE BONDADE E COMPAIXÃO

Com grande e ternurenta bondade daremos conforto e felicidade a todos, 
Com grande compaixão, devemos liberar todos dos sofrimentos da vida; 
Para liberar seres humanos, devemos liberar todos em qualquer nação e de qualquer condição de vida. 
Para liberar o mundo, devemos beneficiar todos os seres sencientes. 

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

16 de Janeiro – BELO CORAÇÃO, BELO MUNDO

O belo mundo começa connosco. Quando damos por nós a queixar-nos da rejeição nas relações interpessoais, devemos alterar essa situação ao emanar o carinho por nós mesmos. Quando nos sentimos impotentes no meio de uma sociedade caótica, devemos começar a mudança pelo acatamento das regras e mantendo a nossa inocência por meio da autodisciplina. Quando suspiramos em relação às imposições das tendências utilitaristas, porque não encetar uma mudança ao nos tornarmos mais compassivos, carinhosos, equânimes e altruístas? A construção de um novo e belo mundo começa no coração de cada um de nós. 

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

15 de Janeiro – PÉS PELO FUNDO DO OCEANO

Zhu Yuanzhang (1328 – 1398, Dinastia Ming)

O céu é o meu toldo e a terra a minha manta.
O sol, a lua e as estrelas acompanham-me nos meus sonos;
À noite não me atrevo a esticar totalmente as minhas pernas,
Com medo de colocar os meus pés pelo fundo do oceano.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

13 de Janeiro – METADE E METADE

Metade é dia, e metade é noite; 
Metade é bom, e metade é não gentil. 
Metade são homens, e metade são mulheres; 
Metade é real, e outra metade são mentiras. 
O mundo do Buda é uma metade, 
e a outra metade é Mara; 
Metade para ti, metade para mim, 
Neste mundo, ninguém consegue conquistar a outra metade. 
Esforça-te pela melhor metade, 
A pior metade diminuirá naturalmente. 
Aceita a metade que é bela, 
Tolera a metade que é menos boa, 
Isto para uma vida que tudo abarque.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.

12 de Janeiro – OS MÉRITOS DA PACIÊNCIA

Ser paciente ou impaciente é geralmente um forte indicador de uma pessoa ser digna, ou não, de respeito. A maior força deste mundo é o poder da paciência. Pode transformar-nos numa pessoa de honra. Por exemplo, ser capaz de permanecer paciente apesar da fome, da pobreza, da ganância, da ira, do sofrimento, e das dificuldades; tal poder nem é comparável à meditação ou ao cumprimento dos preceitos, pois os méritos da paciência são vastos e dão origem a conquistas ilimitadas.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun.