Assembleia Geral 11 de Novembro

Saudações a todos os membros! De acordo com a regulamentação do BLIA, em virtude da expiração do mandato de dois anos dos representantes das delegações, efetuar-se-á uma eleição dos novos representantes de cada delegação, no dia 11 de novembro de2018 (domingo) das 16:30 às18:00, no templo de FO GUANG SHAN de Lisboa. Convidamos todos os membros achegarem com 30 minutos de antecedência, às 16:00. No mesmo dia, para além da eleição, será apresentado um relatório sobre as atividades realizadas durante este último ano e um plano das atividades que realizar-se-ão futuramente. Gostaríamos que todos pudessem estar presentes nesta reunião. Aguardaremos pela sua resposta.

Atenciosamente,

Presidente da Associação Internacional Buddha’s Light de Lisboa

LuZhen Fu

國際佛光會葡萄牙里斯本協會會長  付綠珍  合十

Uma pequena nota:

1.Gostariamos que todos membros que não pagaram a taxa da Associação deste ano ou do novo ano 2019,possam pagar no dia.

2.Esperemos que todos os membros possam comparecer com o colete do BLIA

Lançamento do livro O Caminho para a Iluminação

No dia 21 de Setembro, pelas 21h30, realizou-se a apresentação ao público do livro “O Caminho para a Iluminação”, da Editora Nascente, escrito pelo Venerável Mestre Hsing Yun. Estiveram presentes a Ven. Mestre Chueh Yann, Elisa Chuang e João Magalhães. Contamos ainda com a presença da Presidente da BLIA, a srª Fu e os presidentes dos vários grupos.

Três apresentadores, um livro, uma mente de Buda – O Caminho da Iluminação

A Ven. Mestre Chueh Yann fez uma apresentação sobre o Templo Fo Guang Shan e o Ven. Mestre Hsing Yun, o autor deste livro, Elisa Chuang sobre a BLIA e as actividades de meditação que realizam e João Magalhães a apresentação sobre o livro. Este é um excelente livro para todos os que queiram conhecer o caminho do Budismo e encontra-se dividido em quatro partes – O Despertar, O Viver no Mundo, Perseverar no Caminho e ainda Progredir no Caminho. É um excelente livro, companheiro de “Ser Bom – guia da ética budista para o dia a dia“. O nosso grande obrigado ao Jorge Costa pela tradução, à Sandra pelas fotos, a todos os participantes, à presença e sempre apoio da Editora Nascente e ao despertar que cada um dos leitores está a realizar. Podem ver no Facebook as fotografias deste evento…
https://issuu.com/joaomagalhaes3/docs/o_caminho_para_a_iluminac_a_o

O Buda discursa sobre o Sutra Ullambana

Assim eu ouvi, uma vez, Buda esteve em Sharavarsti, no jardim do benfeitor dos órgãos e dos solitários.

Mahamaudgalyayana recentemente obteve os seis discernimentos e desejou retribuir ao seu pai e mãe falecidos, pela sua bondade em criá-lo.

Assim, ao usar o seu olho interior, ele observou o mundo e viu que a sua mãe falecida renasceu entre os fantasmas famintos, não tendo nem comida nem bebida, ela era apenas pele e ossos.

Mahaudgalyayana sentiu profunda piedade e tristeza, encheu uma taça com comida e tentou ir alimentar a sua mãe. Ela tomou a taça, segurou-a com a mão esquerda e com a direita agarrou um punhado de comida. Mas, antes de a comida entrar na sua boca, tornou-se em pedaços de carvão ardente que não podiam ser comidos.

Mahamaudgalyayana chamou-a e chorou tristemente, indo rapidamente de regresso a Buda para relatar tudo isto.

Buda disse, “as ofensas da tua mãe são profundas e firmemente enraizadas. Tu apenas não tens o poder suficiente. Apesar do teu amor filial mover o céu e a terra, os espíritos do céu, os espíritos da terra, os demónios retorcidos, todos aqueles fora do caminho, Brahmans e os quatro deuses reis celestiais, todos juntos não têm também a força suficiente. O maravilhoso poder espiritual da Sangha reunida das dez direções, é necessária para a libertação ser alcançada.

Eu irei agora falar sobre o dharma da salvação, que mostra as causas de todos aqueles que estão em dificuldades, para abandonarem a preocupação, o sofrimento e para erradicar os obstáculos causados pelas ofensas.

O Buda disse a Maudgalyayana: “O décimo Quinto dia do sétimo mês é o dia Pravarana para a Sangha reunida das dez direções. Pelo bem dos pais e mães de dez gerações passadas, assim como dos pais e mães do presente que estão em perigo, deve ser preparadas oferendas em recipientes límpidos cheios de centenas de aromas, dos cinco frutos e outras oferendas de incense, óleo, lâmpadas, velas, camas e roupas de cama, tudo do melhor do mundo, para a grande e virtuosa Sangha reunida das dez direções. Nesse dia, toda a santa Assembleia, quer nas montanhas onde praticam dhyana samadi, ou obtendo os quatro frutos do caminho, ou caminhando debaixo de árvores, ou usando a independência dos seis discernimentos para ensinar e transformer solidamente os ouvintes e aqueles iluminados pelas condições. Ou provisoriamente manifestando-se como bhikshus quando na verdade são grandes Bodhisattvas no décimo patamar, todos completes em puros preceitos com virtudes como um oceano do caminho santo, devem juntar-se em grande Assembleia e todos os que são semelhantes em mente, recebem a comida pravarana.

Se alguém fizer oferendas a esta Sangha de provarana, o seu pai e mãe, os seus parentes de sete gerações, assim como seis tipos de familiares próximos irão escapar dos três caminhos do sofrimento. E nesse tempo, irão alcançar libertação.

O seu vestuário e alimento irá surgir espontaneamente. Se os pais estiverem vivos, eles irão ter prosperidade e bênçãos por uma centena de anos. Os pais de sete gerações irão renascer nos céus. Ao renascer transformados, irão independentemente entrar na luz da flor celestial e experimentar bênçãos ilimitadas.

Nessa altura, Buda indicou à Sangha reunida das dez direções para recitar mantras e votos pelo bem da família daqueles que doaram, pelos parentes das sete gerações.

Após praticarem a concentração dhyana, eles poderão aceitar a comida. Quando receberem a tigela, coloquem primeiro perante o Buda, na stupa. Quando a sangha reunida terminar os mantras e os votos, então eles devem aceitá-las.

Nesse momento, o bhikshu Maudgalyayana e o grupo de grandes Bodhisattvas, estavam extremamemte deleitados e o som de tristeza do choro de Maudgalyayana, cessou.

Nesse momento, a mãe de Maudgalyayana obteve a libertação de um kalpa de sofrimento como fantasma faminto.

Maudgalyayana dirijiu-se a Buda e disse, “os pais deste discípulo receberam o poder do mérito e virtude da jóia tríplice pelo fantástico poder espiritual desta Sangha reunida.

Se no futuro, os discípulos de Buda praticarem o amor filial ao oferecerem nas bacias de Ullambana, eles serão capazes de fazer passar os seus pais e mais presentes, assim como aqueles das sete gerações passadas?”

O Buda respondeu, “em verdade é bom, estou feliz por ter colocado essa questão. Eu queria mesmo falar sobre tal e agora questionou isso mesmo.

Bom homen, se bhikshus, bhikshunis, reis, princesas da coroa, grandes ministros, grandes oficiais, membros do governo, centenas de oficiais e as dezenas de milhares de cidadãos desejarem praticar compassivamente o amor filial, pelo bem dos seus pais que os criaram, assim como pelo bem dos pais e mães de sete vidas passadas, no décimo quinto dia do sétimo mês, no dia do deleite de Buda, no dia do Pravarana da Sangha, eles devem colocar centenas de sabores de comida nas bacias Ullambana e oferecê-las à Sangha Pravarana das dez direções.

Eles devem fazer voto da causa da longa vida dos pais e mães presentes, de alcançar centenas de anos sem doença, sem sofrimento, aflições ou preocupações e também fazer voto da causa de sete gerações de pais e mães para abandonarem o sofrimento dos fantasmas famintos, para nascerem entre homens e deuses e para terem bênçãos e felicidade sem limite.

 

O Buda disse a todos os bons homens e boas mulheres, “aqueles discípulos de Buda que cultivarem uma conduta filial, devem em pensamento atrás de pensamento, constantemente lembrarem-se dos seus pais e mães presentes, quando estiverem a fazer oferendas, assim como dos pais e mães de sete vidas passadas. Todos os anos, no décimo Quinto dia do sétimo mês, devem sempre, plenos de compaixão filial, lembrarem-se dos seus familiares que os trouxeram à vida e àqueles de sete vidas passadas e pelo seu bem, realizar a oferenda da bacia de Ullambana ao Buda e à Sangha, pagando assim a bondade dos pais que os criaram e nutriram. Todos os discípulos de Buda devem receber, respeitosamente, este dharma”.

 

Nessa altura, o bhikshu Maudgalyayana e os quatro grupos da Assembleia de discípulos, escutando o que Buda disse, praticaram-no em deleite.

 

Fim do discurso de Buda sobre o Sutra Ullambana. Palavras verdadeiras para retribuir a bondade dos pais.

Retiro Monástico Europeu de Curto Prazo – Fo Guang Shan 2018

O objetivo deste retiro Monástico de Curto Prazo é o de experimentar a disciplina e a prática budistas chineses tradicionais e permitir que os budistas leigos experimentem a vida monástica para cultivar a conduta e a virtude.

Por favor, preencher o seguinte formulário e enviar para geralg2@ibps.pt

Data:

30 de junho (Sábado) – 6 de julho de 2018 (sexta-feira)

Local:

Fo Guang Shan França

Qualificação:

  1. (Os participantes devem ter uma apreciação do budismo e uma vontade de aprender a vida monástica budista (os homens devem cortar os cabelos durante o retiro).
  2. Deve ser mental e fisicamente saudável.
  3. Com idade entre 16 e 55 anos.
  4. Idioma: chinês (tradução inglesa fornecida)
  5. Quota: 90 candidatos

Custo e custo:

  1. O evento é patrocinado por Fo Guang Shan França.
  2. A acomodação e as refeições no templo são fornecidas por Fo Guang Shan France. (É agradecida uma doação para a Oferta de refeições).
  3. Taxa de inscrição: 120 € para membros não-BLIA, 100 € para membros da BLIA, 50 € para estudantes (por favor, indique a identificação do estudante), a pagar durante o registro.
  4. Taxa de lavandaria para vestuário de culto emprestado e patrocinado pelo Organizador: (Por favor, traga suas próprias meias brancas e roupas íntimas o suficiente por 7 dias, o serviço de lavandaria não é fornecido)

Matrícula:

  1. Prazo para inscrição: até o contingente estar cheio
  2. Documentos: – Uma fotocópia do seu passaporte (detalhes pessoais).
    – Uma breve biografia de 300 palavras ou mais (chinês ou inglês)
    – 2 fotos recentes do Passporte.
  3. Envie o formulário de inscrição preenchido, juntamente com uma carta de acordo e os documentos acima mencionados, ao seu templo de filial local.

 Entrevista:

preencha qual a filial que é mais conveniente para você para entrevista. Se não está familiarizado com a filial específica, o Organizador escolherá o local mais próximo para você. ※ Os candidatos serão notificados do resultado assim que o processo de revisão for concluído.

※ Se quiser juntar-se aos Cinco Preceitos e Bodhisattva Precepts Retreat (7-8 de julho), preencha o formulário de inscrição e envie todos juntos. Se não se juntar ao Retiro de Preceitos, poderá sair a 6 de julho. Para aqueles que se juntem ao Retiro dos Preceitos, podem permanecer até 9 de julho.

Comitê Organizador:

Fo Guang Shan França
Tel. : 33 (1) 6021 3636 E-mail: activities@foguangshan.fr

O verdadeiro significado do Amor pelo Ven. Mestre Hsing Yun

O amor tem muitos rostos – egoístas ou incondicionais, contaminados ou puros, finitos ou infinitos e vulgares ou transcendentes. O amor é um instinto. Pode dar-nos força e esperança, mas deve cumprir a moral e a lei para que seja inestimável.
Tudo seria impossível se não houvesse amor. Precisamos de amor para ter amplas afinidades com os outros e um coração de ouro. Deve haver amor entre marido e mulher, pais e filhos e entre amigos. Devemos esforçar-nos para ser como um bodhisattva, que tem bondade e compaixão por todos os seres. Não haveria ordem ou moral se não houvesse amor, porque o amor mantém nossas relações pessoais e estabelece as diferenças entre amigos e famílias.
O amor não é um caminho unidirecional. O verdadeiro amor não é uma possessão, é um sacrifício. Se realmente amamos alguém, devemos ajudá-lo a realizar tudo na vida e desejar-lhe a melhor sorte. No entanto, devemos ter um pouco de discrição com o amor. Deve haver diferenciação entre os objetos do nosso amor. A verdade, a justiça e o bem devem estar no topo da nossa lista, enquanto as mentiras, a injustiça e o mal sempre devem ser excluídos. Devemos também esforçar-nos para ampliar o alcance do nosso amor. Os objetos do nosso amor não devem incluir apenas os nossos entes queridos, mas também o nosso país, o mundo e também a nossa raça que deve estar em paz.
Ao olhar para a sociedade de hoje, vemos poucos exemplos de amor verdadeiro. O que vemos são distorções e abusos do amor. Em vez do amor verdadeiro, há luxúria e ganância. Sem boas causas e condições, o amor pode instigar o crime. Isso pode prejudicar-nos, bem como a outros. Por exemplo, o amor mal colocado entre homens e mulheres pode resultar em adultério ou relacionamentos ilícitos.
Para ter amor duradouro, primeiro devemos cultivar boas causas e condições. Devemos aprender a ter o tipo certo de amor, amor que pode levar ao cumprimento da verdade, da beleza e da bondade. No amor verdadeiro, devemos usar a compaixão para purificar os objetos do nosso amor. No amor verdadeiro, devemos usar a sabedoria para liderar os nossos entes queridos na direção certa. No amor verdadeiro, devemos usar bondade e bondade para ajudar os outros a alcançar seus objetivos. No amor verdadeiro, devemos usar a moral para proteger todo o ser vivo. Como o significado da vida vem do amor, devemos usar aquele amor que é verdadeiro e purificado para dignificar este maravilhoso mundo nosso.

Carta aos protetores e amigos do Dharma em 2018

Caros protetores e amigos do Dharma,
Saudações Auspiciosas!
Flores de primavera, lua de outono, o inverno parte e a primavera que chega mais uma vez. À medida que as estações seguem a sua ordem no tempo, recebemos 2018. O Venerável Mestre Hsing Yun dá as suas bênçãos e o encorajamento o seu poema de primavera, “Uma Família de Lealdade e justiça”. A lealdade e a justiça são mais importantes na vida. Devemos permanecer leais e justos em relação às pessoas. Devemos permanecer leais nos nossos relacionamentos, responsabilidades, amizades e com os nossos líderes. Devemos mostrar sensibilidade para com os relacionamentos humanos, permanecermos justos em relação ao mundo, ter benevolência para a sociedade e sentir a nossa conexão com todo o universo. É essencial compreender, ser grato, perceber e manter como legado familiar os espíritos da lealdade e da justiça.
Agradecemos a todos os nossos devotos, amigos do Dharma e ao público em geral por sua lealdade e justiça ao apoiar a propagação do Budismo Humanista de Fo Guang Shan. Gostaria de informar a todos sobre o que realizamos no ano passado através da colaboração de monásticos e leigos.
Em primeiro lugar, boas notícias: as obras completas do Venerável Mestre Hsing Yun foram publicadas! No dia 16 de maio, o último dia do 50º aniversário de Fo Guang Shan, lançamos o Complete Works no Repositório FGS Sutra. As Obras Completas, uma encarnação dos princípios vitais do Venerável Mestre e a atualização do Budismo Humanista, é uma enciclopédia do Budismo Humanista e um guia inestimável para a vida.

A publicação é uma compilação de obras principais do Venerável Mestre, composta por 365 volumes, doze categorias, mais de 30.000.000 de caracteres e mais de 50.000 entradas. Em outubro, realizou-se uma cerimónia de doação de livros na Biblioteca Central Nacional de Taiwan, onde 100 conjuntos de Obras completas foram doados pelos benfeitores de Fo Guang Shan para universidades e bibliotecas de renome em todo o mundo, como a Universidade Nacional de Taiwan e a Universidade Jiao Tong. Além disso, o documentário Humanistic Buddhism: Initial Resolve, produzido sob a liderança do Prof. Charles H.C. Kao, CEO da Commonwealth Corporation, estreou ao lado da abertura de uma exposição sobre os escritos coletados do Mestre Venerável na Biblioteca Central Nacional.

Em maio, ao diretor de televisão Phoenix, Liu Changle, durante muitos anos, um amigo dedicado do Venerável Mestre, foi conferido um Doutorado Honorário em Ciências de Gestão pela Universidade de Nanhua, em Taiwan. Ao mesmo tempo, o vice-chanceler Joseph Sung, da Universidade Chinesa de Hong Kong, veio especialmente a Fo Guang Shan para conferir ao Venerável Mestre um Doutorado Honorário em Ciências Sociais. Em setembro, o Venerável Xuecheng, presidente da Associação Budista Chinesa, aceitou um grau de doutorado honorário em Ciências de Gestão pela Universidade de Nanhua em Fo Guang Shan. A cerimónia coincidiu com o Seminário Monástico FGS anual, e o Xuecheng mais venerado foi convidado a falar com a assembléia de monásticos. Sempre a cuidar dos seus discípulos, o Venerável Mestre falou em várias ocasiões para reunir mais de mil discípulos de todo o mundo, incentivando todos a se esforçarem para o Budismo.
Para nutrir os talentos budistas, iniciamos o Projeto de Sementes de Esperança de Fo Guang Shan no Templo Ancestral de Fo Guang Shan, Templo de Dajue em Yixing, para proporcionar aos discípulos monásticos oportunidades de se envolverem em pesquisas académicas sobre o Budismo Humanista. Além disso, a Fundação Cultural e Educacional de Fo Guang Shan implementou um projeto que promove o talento de estudantes dignos, provenientes de famílias desfavorecidas. O primeiro lote de estudantes está atualmente matriculado no Pu-Men High School, enquanto o segundo lote de jovens talentos foi recrutado.
Ao promover a pesquisa académica sobre o budismo, a Fundação Cultural e Educacional Mestre Hsing Yun (China Continental) apresentou as Bolsas de Estudo Humanista de Budismo 2016 no Templo de Dajue, em janeiro. Foram reconhecidos 22 destacados bolsistas da Universidade de Pequim, Renmin University e Minzu University.

Continuar a ler “Carta aos protetores e amigos do Dharma em 2018”

Retiro Budista: Aprender a Meditar – Meditação Chan

“Quando nos voltamos para dentro, retirando-nos do que nos rodeia, e fazemos uma ligação com a nossa essência e/ou com o Universo, estamos a meditar.”

No passado fim de semana, de 8 a 10 de dezembro, realizou-se o retiro “Aprender a Meditar – Meditação Chan”, com cerca de 20 participantes, na Quinta do Minhoto, em Fornelos, Fafe.

O retiro foi o primeiro, em Portugal, inteiramente frequentado por Portugueses (alguns já haviam tomado refúgio no ano de 2016), tendo sido orientado pela Venerável Mestre Budista Miao Di, da BLIA (Buddha’s Light International Association – Budismo Humanista), tendo igualmente contado com a presença da Supervisora do Templo Fo Guang Shan (sede da BLIA em Portugal), Elisa Chuang.

Ao longo de três dias, os intervenientes tiveram oportunidade de aprender/ experienciar várias técnicas da meditação Chan, receber ensinamentos do Dharma e partilhar experiências, num cenário idílico, em contacto com os sons da natureza.

O retiro foi bastante enriquecedor, já que os participantes puderam voltar-se um pouco para dentro de si mesmos, tendo encontrado uma serenidade nem sempre conseguida na azáfama do dia a dia. A atenção plena (Mindfulness) foi uma constante, quer nas meditações sentadas, quer nas caminhadas meditativas, ou até mesmo na meditação em pé.

A Mestre Miao Di partilhou os ensinamentos de Buda num clima de serenidade e bem estar e todo o grupo retirou variados dividendos da experiência, desde o contacto mais próximo com uma mestre Budista, prática constante de meditação, convívio com grupo heterogéneo e deleite de deliciosa alimentação vegetariana.

No final do retiro já todos ansiavam por nova experiência, quem sabe já no próximo ano, pois a prática do silêncio interior foi música deliciosa para as mentes tão acostumadas ao barulho do mundo exterior.

Marta Silva

Os 4 Pilares para a Felicidade do Ven. Mestre Hsing Yun

No dia 11 de Dezembro realizamos uma aula de Budismo Humanista sobre “Os 4 pilares para a Felicidade”, ensinamentos dados pelo Ven. Mestre Hsing Yun.

Segundo os seus ensinamentos, a felicidade e a paz provêm:

  1. Do desapego e contentamento;
  2. Da compaixão e da tolerância;
  3. De saber obter e desapegar com perfeita facilidade;
  4. Do altruísmo e da abnegação.

Partilho contigo a apresentação destes 4 Pilares para a Felicidade, que foi muito enriquecida com as partilhas e vivências dos 38 participantes.

Os 4 Pilares para a Felicidade – Ven. Mestre Hsing Yun

Convite para o lançamento do Calendário Celebração do Tempo 2018

Convite para o lançamento do Calendário Celebração do Tempo 2018, que irá decorrer no dia 11 de dezembro das 18.30 às 20:00, no Salão Nobre da Universidade Aberta (Rua da Escola Politécnica, 141-147, Lisboa.

A cerimónia contará com a presença do Alto Comissário para as Migrações, Pedro Calado, do Secretário Regional da Educação da Região Autónoma da Madeira, Jorge Carvalho, o Reitor da Universidade Aberta, Paulo Maria da Silva Dias e o Diretor da Cátedra Infante D. Henrique (UAb/CLEPUL – Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa), José Eduardo Franco, em parceria com o GT DIR – Grupo de Trabalho para o Diálogo Inter-religioso.

Exposição de Caligrafia num só traço – Museu do Oriente 18 de Janeiro a 18 de Fevereiro

Museu do Oriente
Inauguração 18 Janeiro | 18.30
Até 18 Fevereiro

“Digo sempre às pessoas que não podem olhar simplesmente para a minha caligrafia; através da minha escrita podem ver o meu coração.”
Venerável Mestre Hsing Yun

Exposição de Caligrafia num só traço

Exposição de 57 caligrafias do Venerável Mestre Hsing Yun, mestre budista e calígrafo, muito respeitado pelo trabalho humanitário que desenvolve em todo o mundo, pela sua caligrafia feita num só traço e pela facilidade em ensinar o Dharma (ensinamentos de Buda). É o fundador da ordem budista Fo Guang Shan, que promove a divulgação do Budismo Humanista.
O Venerável Mestre Hsing Yun nasceu em 1927, em Yangzhou, província de Jiangsu, na China. Aos 12 anos entrou para um mosteiro em Nanjing e em 1941 já se encontrava ordenado. Aos 22 anos, em 1949, durante a turbulência da guerra civil decidiu deixar a sua terra natal e foi para Taiwan, onde começou a desenvolver e a difundir o Budismo Humanista. Em 1967 fundou a ordem budista Fo Guang Shan (Buddha’s Light Mountain) e a partir daí implantou mais de 200 templos em todo o mundo, universidades, colégios budistas, entre várias outras instituições, enquanto meios de aproximar as pessoas ao budismo.
Desde que deixou a função de abade em Fo Guang Shan, em 1985, tem vindo a propagar o Dharma pelos cinco continentes e, com o propósito de reforçar o seu trabalho de divulgação do budismo, fundou a Buddha’s Light International Association, em 1991. Existem hoje mais de 200 associações em todo o mundo e mais de um milhão de membros.

O Venerável Mestre Hsing Yun defende a igualdade entre todos os seres humanos e tradições religiosas, um valor que transparece nas mensagens da sua caligrafia. Expressões como “A alegria e a harmonia”, “O respeito mútuo e a tolerância”, “A igualdade e a paz” ou “Mudar o mundo para bem da humanidade” fazem parte desta exposição.
A técnica de um só traço do Venerável Mestre Hsing Yun deriva da sua perda de visão, que tem vindo a ser gradual. Com a dificuldade em ver, desenvolveu uma forma de, após mergulhar o pincel na tinta, escrever os caracteres de uma só vez – ou um só traço.

Colaboração | Buddha´s Light International Association e Fo Guang Shan