Guia de Meditação, parte 1 – Ven. Mestre Miao Tan

I.               Introdução

Saudações auspiciosas a todos. Sou Miao Tan, do Templo de Hsingma, na Malásia. Hoje vou partilhar convosco no Guia da Meditação. No entanto, antes de entrar no tema do Guia da Meditação, permitam-me que comece com uma breve introdução sobre meditação.

Continuar a ler “Guia de Meditação, parte 1 – Ven. Mestre Miao Tan”

8 de Setembro – CONFIANÇA (EXCERTO)

Antes de dizer alguma coisa, primeiro tem de existir confiança;

Como se pode tolerar a dissimulação e a mentira?

Falar pouco é preferível a falar muito;

Apenas o suficiente, sem adulação ou engano.

Ao testemunhar a virtude de outros, empenha-te em imitá-los de imediato;

Mesmo que sejam inalcançáveis, reduz essa distância gradualmente.

Ao testemunhar o demérito dos outros, empenha-te de seguida na introspecção;

Corrige os que já existem, e está atento aos que não.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun 

7 de Setembro – A RAPARIGA SEM UM TOSTÃO

Os belos tecidos de seda são tão valiosos como as pérolas,

Enquanto que os recheios baratos de algodão não se vendem.

Que sorte haver ainda a colcha de algodão da avó,

Ao acender a lâmpada, costuro e transformo-a numa roupa elegante.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun 

6 de Setembro – RETIRO DE MONTANHA

Que duração têm as vaidades desde os tempos passados?

As ondas da evanescência transbordam durante o dia inteiro;

As ruínas do Rei de Han estão cobertas pelas ervas de Outono,

E o palácio do Lorde Wu foi engolido pelas noites silenciosas.

Uma casa repleta de ouro, e ainda assim o coração ganancioso recusa-se a descansar,

Uma casa repleta de branco, e ainda assim é pomposa na sua aparência.

Quem é que sabe que o contentamento faz de nós um Buda,

E que o seu robe de lã está coberto com a fragrância dos néctares.

Pelos campos cobertos de orquídeas vermelhas e de gotas de humidade,

Arrasto os meus passos descontraidamente em direção ao pico de Oeste.

Permite à mente ser como o lótus, pura e isenta de sujidade,

Porquê deixar o corpo tornar-se num cadáver sujo e exausto?

Por estes caminhos, as nuvens e as árvores antigas erguem-se,

Destes picos cobertos de neve, os gorilas brancos uivam.

Apesar de não ser comparável à Terra das Pétalas de Pêssego,

Quando a Primavera chegar, cobrindo-nos com as mesmas pétalas,

O riacho será tão belo como esse local.

— retirado de Colecção Completa dos Poemas Tang

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun 

5 de Setembro – DEZ CONSELHOS PARA UMA VIDA BEM VIVIDA (EXCERTO)

Vestir de uma forma modesta:

Apesar dos brocados serem estupendos, é uma pena ver os produtos a serem desperdiçados. Enfatizar a importância da frugalidade numa nação que se satisfaz com a extravagância é uma correção que necessita de ser feita urgentemente.

Uma dieta com vegetais:

Ser-se humano e desumano em simultâneo é a moda dos bárbaros. Uma trincada num vegetal permite à boca sentir vários sabores.

Dormir ao relento:

As noites de Primavera e de Outono são ideais quando se fazem acompanhar da lua brilhante e das fragrâncias das flores. O céu é o nosso toldo e a terra o nosso colchão, entre eles vagueamos livremente.

Acordar cedo:

Cada dia é um novo dia; sê estudioso. Descansa bem à noite e evita procrastinar.

Abstinência:

A excitação da sensualidade conduz ao declínio da nossa natureza; do prazer extremo segue-se a tragédia. Em prole da vitalidade e da longevidade, abstém-te.

Reticente:

“Silencioso a menos que incomodado”; um homem de grandeza deve ser como um sino. Quem é que já ouviu o Céu falar? A compreensão alcança-se por meio das experiências.

Trabalho:

A capacidade de ser empenhado tanto em matérias de atividades físicas e mentais é uma habilidade que os sábios e as divindades possuem. Ser habilidoso em várias disciplinas é uma forma excelente de treinar o nosso corpo.

Recuperar:

No interior do espaço da nossa mente, nem uma partícula de pó consegue ser perturbada. Profunda e transparente como a água em repouso, ergue-se firme como a Grande Muralha.

Introspeção:

Porque não buscar as causas em nós mesmos e autorreflectir numa base diária? Repreende os teus próprios defeitos e elimina o pretensiosismo para preservar a genuinidade.

Perspetiva:

Desde os céus até às partículas de pó, desde a eternidade até aos meros segundos, todos são iguais perante as causas e os efeitos, não deixando nenhum assunto por resolver.

— retirado de Pensamentos de Jiang Kanghu 

4 de Setembro – CONHECER A SATISFAÇÃO

Aqueles que desejam libertar-se de todas as aflições devem contemplar a prática do contentamento. É na prática do contentamento que a fortuna, a felicidade e a paz residem.

Aqueles que têm contentamento estão felizes e sentem-se em paz, mesmo que estejam a dormir no chão, enquanto que aqueles sem contentamento estão sempre insatisfeitos, mesmo que estejam no paraíso.

Aqueles que têm contentamento têm riqueza, mesmo que sejam pobres, enquanto que aqueles sem contentamento estão apegados aos cinco desejos* e os que têm contentamento sentem pena deles.

— retirado de Tratado Sobre os Ensinamentos Legados Pelo Sutra Buda

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun 

3 de Setembro – VERGAR-NOS PERANTE A VERDADE

I

Apenas estamos dispostos a vergar-nos perante o altar da verdade, e não dispostos a rastejar perante a autoridade de todo o que é material.

II

Devemos ter a determinação para vencer e ser destemidos em relação aos fracassos e contratempos.

III

Aquilo que determina o génio é o empenho. Trabalhar e estudar com empenho permite com que o talento inato de cada um tenha um desenvolvimento acrescido. A quantidade de talento que cada um desenvolve é diretamente proporcional ao empenho que colocamos.

IV

O tempo é vida; o tempo é rapidez; o tempo é poder.

V

O ato de estudar não se equivale com o queimar do óleo à meia noite. O sucesso não se alcança ao sermos esporádicos.

VI

Ao semear uma cabaça nascerão cabaceiras. Ao semear um feijão nascerão feijoeiros. Ao semear uma benevolência amigável nascerá uma benevolência amigável.

— retirado de A Obra Completa de Guo Moruo

2 de Setembro – ESTA COISA CHAMADA VIDA

Neste mundo, é um tabu ser-se perfeito em todos os sentidos. Por exemplo, uma vez que a lua que está no céu se encontre cheia, não demorará até que comece a minguar. No instante em que os frutos de uma árvore ficam maduros, eles soltam-se e caem. Para que se possa persistir, há sempre que deixar um lugar para a deficiência.

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun 

1 de Setembro – A PÉROLA BRILHANTE DE CADA UM

Eu tenho uma pérola brilhante única,

Que há muito está aprisionada na poeira.

Agora que a poeira se foi, o brilho é resplandecente

Iluminando todas as montanhas e rios.

— retirado de Examinações da Linhagem da Família Sakya 

Audio do livro 365 Dias para o Viajante, do Ven. Mestre Hsing Yun