Prece para oferenda de luz

pelo Venerável Mestre Hsing Yün

Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a oferenda da luz da nossa mente;
Em tempos antigos, a humanidade progrediu
De um estágio primitivo para a descoberta do fogo;
Desde então, um quarto escuro com 100 anos de idade pode ser iluminado instantaneamente
Pela luminosidade de uma lâmpada;
Os navios no alto mar, durante a noite, podem guiar-se pelas luzes de um farol;
Pedestres que caminham em ruas escuras podem andar, sem medo, por causa das luzes da rua.
A luz é realmente muito importante!
Entretanto, as 10 milhões de luzes deste mundo não são nada se comparadas com uma pequena fração da tua luz!
Somente a luz de Buda pode trazer brilho verdadeiro a este mundo cinzento.
Somente a luz do Darma pode iluminar mentes confusas.
A tua existência neste mundo,
Para nos ensinar o Darma e nos beneficiar com alegria,
Acendeu a luz da verdade;
Desde aquele momento,
Todos os seres que sofriam passaram a ter fé de que seriam resgatados;
Todos os seres sencientes passaram a se alegrar com a perspectiva de serem libertados do sofrimento.
Muitas pessoas libertaram-se da prisão dos lamentos.
Muitas escaparam dos tormentos.

Continuar a ler “Prece para oferenda de luz”

Prece para atingir a perfeição ao fazer uma tarefa

pelo Venerável Mestre Hsing Yün

Ó grande e compassivo Buda!
Quanta alegria!
Gostaria de te dizer, Buda,
Com muito contentamento,
Que consegui terminar a minha tarefa,
E que as minhas habilidades alcançaram o nível da perfeição paramita!

Continuar a ler “Prece para atingir a perfeição ao fazer uma tarefa”

Encorajamento – um ebook

Esta é uma coletânea de pensamentos e ensinamentos de Dharma do Ven. Mestre Hsing Yun, dedicados ao Encorajamento, em tempos de grande sofrimento, necessidade de transformação e purificação da mente.

Transforma os que amas com
Virtude.
Guia-os com moralidade.
Preenche-os com bondade, para que
Possam ser gentis.
Deseja-lhes bênçãos.

Ven. Mestre Hsing Yun

Que possam estes ensinamentos trazerem harmonia, felicidade e saúde a todos.

O conceito da unidade universal é
Fundamental para a harmonia mundial.
A unidade e a coexistência são
As fundações para a paz mundial.

Ven. Mestre Hsing Yun

Podes fazer download do PDF aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

O que é Dedicação ou Dedicação dos méritos

Aqueles que são novos no budismo freqüentemente perguntam sobre a prática de “dedicar” o mérito aos outros todos os dias. Pode-se pensar: “Os meus próprios esforços não são grandes e acumulei muito pouco mérito. Não ficará mesmo muito pouco mérito para mim? ”

A prática de dedicar 回 向 mérito é realmente bastante extraordinária e única no budismo.

A dedicação do mérito é muito parecida com o segurar uma vela para acender outra vela: não apenas a luz da vela original não diminui de forma alguma, mas, pelo contrário, a luz da vela recém-acesa garantirá que a sala fique ainda mais brilhante. Do mesmo modo, sem diminuir nada de ti mesmo, quanto mais mérito for dedicado, mais pessoas poderás ajudar e mais extraordinário será o teu próprio mérito.

A dedicação de mérito ocorre em duas partes:

  1. Acumular mérito (寄存) – Acumula-se mérito da prática para atingir o despertar. Esse mérito é armazenado, acumulado, no campo do mérito da Terra de Buda.
  2. Partilhar mérito (分享) – A pessoa oferece e partilha todos os benefícios do mérito a todos os seres sencientes em todos os lugares.

De acordo com os sutras, a dedicação ao mérito pode ser categorizada em seis tipos:

  1. Dedicar fenómenos ao absoluto (回事 向 理) – Dedica o mérito das qualidades fenomenais da prática de alguém à conquista da realidade absoluta, que não surge nem cessa.
  2. Dedicar a causa ao efeito (回 因 向 果) – Dedica as práticas meritórias que são as causas do despertar para o efeito do supremo estado de Buda.
  3. Dedicar-se aos outros (回 自 向 他) – Esta é a dedicação do mérito da própria prática a todos os seres sencientes do universo.
  4. Dedicar o pequeno ao grande (回 小 向 大) – Esta é a dedicação da mente Hinayana que é orientada para a auto-realização e a auto-libertação para se transformar na mente Mahayana de beneficiar a si e aos outros.
  5. Dedicar o pouco a muitos (回 少 向 多) – Isto é dedicar o mérito de alguém, por mais escasso que possa ser a própria raiz da bondade e partilhá-lo amplamente com alegria e felicidade, para que possa apoiar todos os seres sencientes.
  6. Dedicação do inferior ao superior (回 劣 向 勝) – Dedica o mérito que advém da alegria de beneficiar pessoas comuns, sravakas e pratyekabuddhas e transformá-lo numa apreciação pelo supremo despertar.

A dedicação de mérito é o melhor método de prática e faz parte do caminho do bodhisattva do Mahayana. É uma aplicação direta do conceito de se beneficiar a si mesmo e aos outros e tratar amigos e inimigos como iguais. Como podemos dedicar nosso mérito a todos os seres sencientes, é possível dedicar o mérito a amigos e inimigos, ou mesmo aos credores. Dessa forma, condições negativas podem ser transformadas em positivas e o infortúnio pode tornar-se uma boa sorte.

A dedicação de mérito é a personificação da bondade e compaixão incondicionais. Somente aqueles que têm o espírito de que o eu e os outros são iguais e que amigos e inimigos devem ser tratados da mesma forma, podem dedicar mérito. É por isso que um único pensamento de dedicação é elogiado como supremo entre todos os atos de um bodhisattva. Independentemente da prática que pratiques ou do mérito que conquistaste, tudo deve ser dedicado.

Fonte: Faxiang, a Buddhist Practitioner’s Encyclopedia, Ven. Mestre Tzu Chuang, Fo Guang Shan

Praticar Mérito e Sabedoria

Mérito e sabedoria 福慧 雙修 são duas qualidades que devem ser cultivadas juntas. O “cultivo do mérito” inclui todas as formas de karma positivo que beneficiam outros, como as cinco primeiras das seis perfeições:

  1. Doação;
  2. Moralidade;
  3. Paciência;
  4. Diligência;
  5. Concentração meditativa.

Cultivar a sabedoria é o desenvolvimento da última das seis perfeições: sabedoria-prajna, e inclui aquelas verdades e conceitos que beneficiam a pessoa.

De acordo com o nono capítulo do Tratado de Demonstração Apenas da Consciência, essas grandes práticas de um bodhisattva que estão relacionadas à sabedoria são o “cultivo da sabedoria”, enquanto todas as outras são o “cultivo do mérito”.

Costuma-se dizer que, para atingir o estado de Buda, os bodhisattvas procuram o despertar pelo que está acima (isto é, cultivar a sabedoria) e trazer libertação para os seres sencientes abaixo (isto é, cultivar o mérito). Como o cultivo do mérito e sabedoria é conhecido como as práticas supremas para alcançar o estado de Buda, elas são conhecidas como as “práticas supremas”.

No budismo, há um ditado que diz que quem cultiva o mérito, mas não a sabedoria, é como um elefante que usa um colar de jóias, enquanto quem cultiva a sabedoria, mas não o mérito, é como um arhat que recebe poucas oferendas.

Os budistas devem prestar atenção e cultivar mérito e sabedoria, pois nenhum deles deve ser descartado. Existem passagens nos sutras que enfatizam a necessidade de cultivar mérito e sabedoria. Mesmo aqueles que procuram o renascimento na Terra Pura do Ocidente não podem fazê-lo sem mérito e com as raízes do bem como as suas causas e condições.

O segundo capítulo dos Ensaios sobre os Ensinamentos Quíntuplos do Sutra do Adorno de Flores diz:

Quanto à prática real contida nos ensinamentos finais (do Mahayana), aquele que faz a aspiração inicial pelo despertar cultiva tanto o mérito quanto a sabedoria, pois não há mais nada a cultivar ao atingir o estado de Buda.

Sutra do Adorno de Flores

Não existe outra forma especial de prática para atingir o estado de Buda além do cultivo do mérito e da sabedoria. Como podemos cultivar mérito e sabedoria na nossa vida quotidiana? A melhor forma é cultivar as seis perfeições:

1. Dar (布施)

Se alguém dá o presente da riqueza, o presente do Dharma ou o presente do destemor, deve fazê-lo de forma a que o doador esteja vazio, o destinatário esteja vazio e o presente em si esteja vazio, tal é alcançar o estado mais alto de dar.

2. Moralidade (持戒)

Cultivar a moralidade não significa apenas observar os preceitos na sua forma externa. O cultivo da moralidade é enfatizar o verdadeiro espírito e significado dos preceitos com o princípio de não violar os outros, mas respeitá-los e beneficiá-los.

3. Paciência (忍辱)

Paciência não significa passivamente não revidar quando se é maltratado ou não reagir quando amaldiçoado. Paciência é uma atitude para lidar com assuntos ativos, responsáveis, flexíveis, comprometidos e despreocupados.

4. Diligência (精進)

Aplicar corretamente a diligência significa remover a profanação que está presente, impedir a profanação que ainda está por surgir, desenvolver a benevolência que ainda está por surgir e fortalecer a benevolência que está presente. Cultivar diligentemente o mérito requer a orientação da sabedoria, pois, dessa forma, não se pratica cegamente.

5. Concentração Meditativa (禪定)

As pessoas que cultivaram bem a concentração meditativa não agem precipitadamente, não falam com estultícia, nem pensam impulsivamente. Tais pessoas não interferem com os outros e desenvolvem sabedoria, adquirem assim o respeito e apoio dos outros.

6. Prajna-sabedoria (般若)

Ao cultivar incessantemente doações, moralidade, paciência, diligência e concentração meditativa guiadas pela sabedoria, certamente obteremos grande sabedoria prajna. Como indicado acima, o mérito deve ser guiado pela sabedoria e a sabedoria requer a acumulação de mérito. Mérito e sabedoria são como as duas asas de um pássaro, pois é impossível confiar apenas numa só. É por isso que devemos cultivar os dois ao mesmo tempo.

Fonte: Faxiang, a Buddhist Practitioner’s Encyclopedia, Ven. Mestre Tzu Chuang, Fo Guang Shan

A perspetiva budista dos direitos das mulheres – um ebook

Neste mundo, tudo se expressa pelos seus próprios termos e à sua maneira. Por exemplo, a água é suave e, no entanto, também pode ser extremamente poderosa. As flores são delicadas e bonitas, mas é exatamente por isso que elas são atraentes. Quando as crianças não conseguem o que querem, costumam chorar para convencer os pais. Chorar é o modo como as crianças expressam o seu ponto de vista. Os homens usam fatos de negócios, sapatos finos de couro e caminham carismáticos. As mulheres também querem expressar o seu apelo inato, a beleza.

A beleza não é apenas uma visão superficial do físico. Uma mulher pode expressar a sua beleza através da generosidade, meticulosidade e diligência. Cada uma dessas características pode ser uma expressão da singularidade e da substância interior de uma mulher. O importante é saber como expressar essas características. A situação é semelhante a alguém que cultiva a prática budista – essa pessoa também deve aprender a expressar a sua compaixão e paciência, porque compaixão e paciência são os seus pontos fortes.

A perspetiva budista dos direitos das mulheres – Ven. Mestre Hsing Yun

Podes baixar o PDF deste ebook aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.


Prece para a libertação de apegos emocionais

pelo Venerável Mestre Hsing Yün

Ó grande e compassivo Buda!
Tens ouvido uma voz humilde,
Que reza a ti com sinceridade?

Ó, Buda!
Eu tenho afundado numa lama de apegos emocionais;
Se eu não me levantar,
Afogo-me aqui, agora mesmo!
Tenho-me agarrado a uma teia de apegos emocionais;
Se eu não escapar,
Sufoco aqui, agora mesmo!

Ó grande e compassivo Buda!
Rezo para que me concedas a força necessária
Para escapar da prisão dos apegos emocionais;
Rezo para que me concedas a coragem
Que me permitirá marchar em direção a um novo futuro.

Tantos amigos e parentes aconselham-me:
O amor romântico é como
A arrebentação das ondas no oceano;
As pessoas que se arriscam, ao brincar nas ondas,
Acabarão por ser devoradas pela aparentemente
Bela rebentação das águas do oceano.
Entretanto, eu que ainda ajo sem princípios, agarro-me a ilusões;
Eu sei que “o oceano do amor tem ondas de 100 pés”,
E, ainda assim, eu desconsidero os perigos;
Sei que “o oceano do sofrimento tem uma centena de ondas de rebentação”,
E, ainda assim, não sei como voltar atrás.

Muitos sábios e pessoas virtuosas dizem-me:
“O amor romântico é como comer mel na lâmina de uma faca;
mais cedo ou mais tarde, serás cortado pelo seu corte afiado”.
Entretanto, eu, que tenho apegos emocionais profundos,
Não me consigo controlar;
Quanto tempo perco!
Quantas oportunidades deixo passar!

Ó grande e compassivo Buda!
Por meio da tua habilidade e tranquilidade,
Por favor, deixa-me obter a realização da natureza intrínseca do amor;
Por meio da tua compaixão e sinceridade,
Por favor, deixa-me criar a Terra Pura neste mundo humano.

Devo purificar e expandir
O amor romântico e transformá-lo em
Amor pela sociedade e pela nação;
Devo elevar o amor a um nível mais alto
E transcendê-lo, para que, então, ele se transforme
Num serviço sem interesses nem expectativas.

Ó grande e compassivo Buda!
Por causa do apego emocional,
Tantas pessoas se prejudicaram
E tantas outras causaram tragédias.

Ó Buda, rezo pela Tua proteção:
Que possamos elevar o amor a um nível mais alto pela razão;
Que possamos purificar o amor pela compaixão;
Que possamos governar o amor pela moralidade;
Que possamos guiar o amor pela ética.

Ó grande e compassivo Buda!
De agora em diante, vou renunciar às horríveis algemas do apego emocional,
E trazer à cena o amor benevolente e genuíno;
De agora em diante, vou distanciar-me do sofrimento,
Causado por alternar entre amor e ódio,
E criar uma vida de compaixão e sabedoria.

Rezo para que, de agora em diante:
O afeto e o amor ao Dharma transbordem
E tranquilize a vida de todas as pessoas;
O afeto e o amor ao Darma preencham todo o universo
E motive a carreira de todas as pessoas.

Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a minha prece mais sincera!
Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a minha prece mais sincera!

Prece para o descanso ao final do dia

pelo Venerável Mestre Hsing Yün

Ó grande e compassivo Buda!
O dia de hoje chegou ao fim.
Embora eu seja incapaz de parar o curso do tempo,
Rezo a ti, Buda,
Para que me permitas compreender
O real significado da impermanência;
Embora eu seja incapaz de seguir os passos do
Nascer e do pôr-do-sol,
Rezo a ti, Buda,
Para que me permitas ver,
Claramente, o real valor da vida.

Neste dia que chegou ao fim,
Eu acabei com a ilusão e com a ignorância
E pus fim às preocupações e às agitações.
Mas, contando com a tua compaixão e virtude inspiradoras,
Com a tua sabedoria e orientação,
Passei o dia em completa segurança.

De hoje em diante, que eu possa ser
Como as pontes e estradas
Que trazem ao mundo boas causas e boas condições;
Como a chuva refrescante do verão e o orvalho
Que aliviam a aflição e o cansaço dos seres sencientes;
Como a floresta e as árvores mais antigas
Que provêm sombra e alento às pessoas;
Como o sol, a lua e as estrelas,
Que iluminam a todos os seres que tomaram o caminho errado.

Ó grande e compassivo Buda!
O dia de hoje chegou ao fim.
E numa noite como esta,
Posso sentir como o tempo passa rapidamente.
Como um peixe que nada num pequeno aquário,
Sei que o tempo é curto.
Não posso evitar sentir a impermanência da vida.

Apenas posso rezar a ti,
Grande Buda:
Que eu possa ter uma mente magnânima
E perdoar os meus inimigos que me insultaram;
Que eu possa ter uma mente grata
E retribuir aos meus amigos que me ajudaram;
Que eu possa ter uma mente de sabedoria prajna
E refletir sobre as minhas próprias falhas;
Que eu possa ter uma mente zelosa e próspera
E carregar comigo os teus ensinamentos compassivos.

Ó grande e compassivo Buda!
Agradeço muito pelos teus ensinamentos e orientação:
Que eu possa abandonar as armas da raiva e da vingança,
E usufruir a alegria refrescante de ouvir as tuas palavras e meditar nas bem-aventuranças do Dharma.
Que eu possa livrar-me das algemas do apego
E libertar a minha mente e o meu corpo.

Ó grande e compassivo Buda!
O dia de hoje chegou ao fim e a minha vida está um dia mais curta.
Rezo pela tua bênção.
De hoje em diante, que eu possa
Não ter medo, nem ilusão,
Nem preocupação, nem pesadelo.
Contando com o apoio do teu grande poder
Que eu possa levantar-me e também descansar contigo,
E experimentar o regozijo sem limite.
Que eu possa encontrar a verdade absoluta
E ter vida eterna.

Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a minha prece mais sincera!
Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a minha prece mais sincera!

Prece para o despertar pela manhã

pelo Venerável Mestre Hsing Yün

Ó grande e compassivo Buda!
Hoje é o começo de um novo dia!
Diz-se que “o amanhecer é a melhor hora do dia”.

Numa manhã tão auspiciosa,
Reflito sobre o que se passou:
Eu cometi erros,
Mas nunca perdi a esperança;
Eu fiquei triste,
Mas pude descansar a minha mente com serenidade;
Eu fui caluniado,
Mas compreendi que tudo na vida surge e desaparece de acordo com causas e condições;
Eu derramei lágrimas,
Mas acreditei que amanhã será um dia melhor.

Hoje, sob as bênçãos e proteção
Da tua luz de compaixão, ó Buda,
Rezo a ti para que me dês coragem
Para encarar todos os desafios de hoje;
Rezo a ti para que me dês paciência
Para aceitar todas as derrotas de hoje;
Rezo a ti para que me dês força
Para suportar todo o trabalho de hoje;
Rezo a ti para que me concedas sabedoria
Para que possa ser grato a todas as causas e condições de hoje.

Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, ajuda-me a revelar a minha sabedoria;
Por favor, ajuda-me a abrir a minha mente.
Que eu esteja apto a apreciar as maravilhas do céu e da terra;
Que eu esteja apto a agradecer ao calor da humanidade;
Que eu esteja apto a obter a ajuda dos amigos;
Que eu esteja apto a compreender o refinado tesouro do Dharma.

Ó grande e compassivo Buda!
Ajuda-me a ter um coração grandioso:
Que ao longo do dia eu possa doar, com alegria;
Que ao longo do dia eu possa, com boa vontade, criar vínculos com os outros;
Que ao longo do dia eu possa praticar o amor, a compaixão, o contentamento e a equanimidade;
Que ao longo do dia eu possa tratar as pessoas com tolerância e generosidade.

Ó grande e compassivo Buda!
Ajuda-me a ser um guerreiro:
Que eu possa purificar os meus pensamentos;
Que eu possa contribuir com os demais, frequentemente;
Que eu possa abster-me do mal;
Que eu possa apenas fazer o bem.

Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, abençoa-me:
Que eu possa ter sabedoria espiritual
E a mente de Buda;
Que eu possa ter sabedoria prajna e compaixão
E liberar os seres do sofrimento.

Ó grande e compassivo Buda!
Reconheço a tua presença na minha mente.
Compreendo que vim ao mundo dos humanos para ser feliz;
Entendo que faço parte da sociedade para contribuir;
Sei que estou a cultivar o caminho da iluminação para ajudar os demais.
Faço votos, a partir deste momento,
De beneficiar todos os seres sencientes
E despertar a mim e aos outros todos os dias;
Faço votos, a partir de hoje,
De trazer benefícios e felicidade para a nação e para as pessoas,
E trazer libertação a mim e aos outros, em todos os momentos.

Ó grande e compassivo Buda,
Por favor, aceita a minha prece sincera da manhã!
Ó grande e compassivo Buda,
Por favor, aceita a minha prece sincera da manhã!

Dedicação de Méritos

Cí bēi xǐ shě biàn fǎ jiè
Que a generosidade, a compaixão, a alegria e
a equanimidade permeiem todo o Universo.

Xí fú jié yuán lì rén tiān
Que todos os seres sencientes valorizem os méritos,
criem vínculos e beneficiem os Céus e a Terra.

Chán jìng jiè hèng píng děng rěn
Pratiquemos o Chan e o Terra Pura, sigamos os preceitos,
aceitemos tudo com equidade e tolerância.

Cán kuì gǎn ēn dà yuàn xīn
Façamos os Grandes Votos com espírito
de arrependimento e gratidão.