Tornar-se um Bodhisattva – um ebook

Frequentemente, ao falar sobre os Bodhisattvas, pensamos imediatamente nas estátuas de barro ou madeira às quais prestamos os nossos respeitos nos templos, ou evocamos imagens de pinturas ou esculturas que vimos desses indivíduos iluminados. A maioria das pessoas pensa nos Bodhisattvas como divindades que têm muitos poderes sobrenaturais e que são místicos, além do alcance da visão humana. Pensamos nos Bodhisattvas como seres que têm o toque de Midas, que são capazes de comandar o vento, a chuva e podem trazer-nos riqueza. Na verdade, os Bodhisattvas não são divindades que estão acima de nós ou além da nossa compreensão, a presença do Bodhisattva não está distante, mas bem aqui presente entre nós. Os Bodhisattvas não são ídolos a quem fazemos oferendas e prestamos respeito. Um verdadeiro Bodhisattva pode ser encontrado entre nós, pois um verdadeiro Bodhisattva é alguém rico em compaixão e mais sincero em libertar todos os seres sencientes dentro dos seis reinos da existência.

Ao longo da história, houve muitos exemplos de homens e mulheres que realmente viveram no espírito de um Bodhisattva. Por exemplo, o mestre Ouyi da dinastia Ming era um dos quatro mestres célebres da época, conhecido pela sua estrita observância dos preceitos. Embora fosse um bhiksu bem cultivado e uma figura-chave no budismo chinês, não se considerava um bhiksu, ao invés disso, ele considerava-se Bodhisattva. Mais recentemente, há o exemplo do Mestre Taixu, conhecido pela sua compaixão e dedicação em revitalizar o budismo chinês. Ele disse uma vez sobre si mesmo: “Eu não sou um bhiksu, nem me tornei um Buda; ao invés, espero ser chamado de Bodhisattva.” Assim, podemos ver que é mais aceitável chamar alguém de Bodhisattva do que tratar alguém como um bhiksu. Há também o exemplo contemporâneo do mestre Cihang, que jurou que, como testemunho da sua realização, o seu corpo físico não pereceria após a morte. Quando ele estava vivo, ele gostava de ser tratado como um Bodhisattva. Após a sua morte, o corpo, de fato, não pereceu e ainda é mantido em Xichi para que as pessoas prestem respeito. Para honrar o seu desejo, ele é chamado de “Cihang Bodhisattva”, o que significa que ele é um Bodhisattva de compaixão e pode transportar-nos através do mar do sofrimento.

A partir dos exemplos acima, podemos ver que todos podemos tornar-nos Bodhisattvas, desde que tenhamos o compromisso de “procurar o Caminho de Buda e libertar todos os seres”. 

Ven. Mestre Hsing Yun

Podes fazer o download do PDF aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.