Constituição da Sub-Delegação BLIA Guimarães

No dia 11 de Dezembro foi constituída a Sub-Delegação BLIA Guimarães numa cerimónia com a Ven. Mestre Man Chien, Ven. Mestre Juerong e Ven. Mestre Miao Yen.

Entrega do certificado de constituição da Sub-Delegação de Guimarães pelo presidente de BLIA Lisboa.

Sílvia Oliveira e supervisora Elisa Chuang

São membros da Sub-Delegação de Guimarães: Sílvia Oliveira, Daniel Magalhães, João André, Cristiano, Carlos Alves, Marta Silva, Marta Pacheco, Orquidia, Susana e Cristina.

Reunião na BLIA Porto

No dia 8 de Dezembro deslocamo-nos ao templo Fo Guang Shan em Vila do Conde para um encontro com a BLIA Porto e a Ven. Mestre Jeurong e Ven. Mestre Miao Di, em conjunto com a nossa supervisora, Elisa.

Além da preparação do grupo da sub-delegação de Guimarães e próximas atividades, estivemos também a preparar a ida ao Templo em Estocolmo, de 17 a 19 de Março de 2017, para aulas de Dharma.

Ven. Mestre Juerong, Ven. Mestre Miao Di, Elisa Chuang e vários membros da BLIA Porto, com João Magalhães e Sílvia Oliveira.

Iniciou o grupo de estudos da BLIA em Guimarães

A BLIA tem agora um grupo de estudos também em Guimarães, às terças-feiras, pelas 19h00.

A entrada no grupo de estudos é gratuita, mas caso tenham oportunidade, podem associar-se na BLIA, como auxílio às actividades do Templo e da Associação.

Morada: Av. São Gonçalo, 1512, 4835 – 104 Guimarães

Palestra em Guimarães sobre o que é o Budismo Humanista

A 24 de Março estivemos em Guimarães para uma palestra sobre O que é o Budismo Humanista. Começamos com o surgimento de Buda e do Budismo, as quatro nobres verdades e a missão do Budismo Humanista na prática quotidiana. Começamos ainda por praticar meditação Chan, para esvaziar a mente e preencher o coração.

12033142_1710566622552947_3567888505117941277_n
Momento de meditação Chan para esvaziar a mente e preencher o coração

12800345_1710566545886288_820459567179948769_n

Muito obrigado a todos os participantes pelo carinho, compaixão e atenção, na vontade de aprender mais sobre o Budismo e sobre como trazerem a si mais momentos de felicidade e consciência.

Porque estudamos Budismo, palestra em Guimarães

No dia 17 de Fevereiro, a Mestre Miao Yen esteve em Guimarães para uma palestra sobre Porque Aprendemos Budismo, focando no tema do Sutra das Oito Percepções dos Grandes Seres, que nos explica o caminho para nos tornarmos Bodhisattvas e assim auxiliarmos a libertar do sofrimento, todos os seres.
Podem ler mais sobre este sutra aqui…
Agradecemos profundamente à Elisa Chuang, nossa supervisora e a Marta Silva, pela tradução que fizeram.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O nosso muito obrigado pelos bondosos ensinamentos da Ven. Mestre Miao Yen.

Esta palestra teve como referência o livro Budismo Puro e Simples do Ven. Mestre Hsing Yun. budismo-puro-e-simples-cartaz

A Vida, o Corpo e a Mente, foi assim a aula de Dharma em Guimarães

No dia 6 de Janeiro, a Ven. Mestre Miao Di esteve em Guimarães para nos falar sobre «a Vida, o Corpo e a Mente». Os seus ensinamentos foram traduzidos por Marta Silva, que aqui deixa o testemunho desse dia de Dharma.

miao di

“Olá a todos! O meu nome é Miao D! ‘Miao’ significa ‘maravilhosa’ e ‘Di’ significa ‘verdade’! Vou falar-vos sobre a Vida, o Corpo e a Mente!”

Assim começou a palestra com a venerável Mestre budista, do Templo Fo Guang Shan, que partilhou os seus ensinamentos com todos os presentes no Cenif de Guimarães.  E, em dia de Reis, que presente poderia ser melhor do que uma verdade maravilhosa sobre a Vida, que nos alimentou o Ser, elevando a nossa consciência rumo ao crescimento espiritual?

Miao Di presenteou-nos com uma reflexão sobre a Vida, a nossa existência, e sobre as suas duas vertentes: o corpo e a mente. Ao longo de cerca de uma hora e meia, foi enaltecendo as diferenças dessa condição dicotómica do ser humano: a sua componente material (o corpo físico), que pode ser uma herança genética e pode ser manipulada e produzida com ajuda da ciência e da tecnologia; e a componente mental (a consciência), que não é possível de reproduzir, de criar em laboratório, mas que vai sendo construída através da relação/interação dos cinco órgãos sensoriais com o meio que nos envolve, do reconhecimento dessa realidade, da tomada de decisões, do apego e desejo que criamos com o mundo envolvente e das memórias que vamos construindo.

A atitude perante a realidade que nos rodeia foi igualmente tópico de reflexão, assim como os pensamentos que vamos criando. Podemos ser cocriadores de uma realidade mais positiva ou mais negativa, em função da nossa atitude e dos pensamentos que emanamos.

No final da sessão, a Mestre Miao Di gentilmente ofereceu um cartãozinho com uma mensagem inspiradora a cada um dos presentes, os quais já haviam recebido uma velinha (oferta do Cenif), simbolizando a iluminação que todos buscam, para se tornarem seres mais esclarecidos, mais conscientes e mais felizes.

Depois de esclarecer algumas questões que foram surgindo na plateia, a venerável monja deixou um pedido: “Sejam felizes e espalhem felicidade!”

12524083_1679206619022281_8317913562734569569_n

E todos os que estiveram a assistir saíram com um sorriso no rosto, certos de que aqueles ensinamentos são verdades maravilhosas que podem ajudar a ter uma atitude mais positiva na vida e ser um guia na busca incessante da felicidade!