Prece para a libertação de apegos emocionais

pelo Venerável Mestre Hsing Yün

Ó grande e compassivo Buda!
Tens ouvido uma voz humilde,
Que reza a ti com sinceridade?

Ó, Buda!
Eu tenho afundado numa lama de apegos emocionais;
Se eu não me levantar,
Afogo-me aqui, agora mesmo!
Tenho-me agarrado a uma teia de apegos emocionais;
Se eu não escapar,
Sufoco aqui, agora mesmo!

Ó grande e compassivo Buda!
Rezo para que me concedas a força necessária
Para escapar da prisão dos apegos emocionais;
Rezo para que me concedas a coragem
Que me permitirá marchar em direção a um novo futuro.

Tantos amigos e parentes aconselham-me:
O amor romântico é como
A arrebentação das ondas no oceano;
As pessoas que se arriscam, ao brincar nas ondas,
Acabarão por ser devoradas pela aparentemente
Bela rebentação das águas do oceano.
Entretanto, eu que ainda ajo sem princípios, agarro-me a ilusões;
Eu sei que “o oceano do amor tem ondas de 100 pés”,
E, ainda assim, eu desconsidero os perigos;
Sei que “o oceano do sofrimento tem uma centena de ondas de rebentação”,
E, ainda assim, não sei como voltar atrás.

Muitos sábios e pessoas virtuosas dizem-me:
“O amor romântico é como comer mel na lâmina de uma faca;
mais cedo ou mais tarde, serás cortado pelo seu corte afiado”.
Entretanto, eu, que tenho apegos emocionais profundos,
Não me consigo controlar;
Quanto tempo perco!
Quantas oportunidades deixo passar!

Ó grande e compassivo Buda!
Por meio da tua habilidade e tranquilidade,
Por favor, deixa-me obter a realização da natureza intrínseca do amor;
Por meio da tua compaixão e sinceridade,
Por favor, deixa-me criar a Terra Pura neste mundo humano.

Devo purificar e expandir
O amor romântico e transformá-lo em
Amor pela sociedade e pela nação;
Devo elevar o amor a um nível mais alto
E transcendê-lo, para que, então, ele se transforme
Num serviço sem interesses nem expectativas.

Ó grande e compassivo Buda!
Por causa do apego emocional,
Tantas pessoas se prejudicaram
E tantas outras causaram tragédias.

Ó Buda, rezo pela Tua proteção:
Que possamos elevar o amor a um nível mais alto pela razão;
Que possamos purificar o amor pela compaixão;
Que possamos governar o amor pela moralidade;
Que possamos guiar o amor pela ética.

Ó grande e compassivo Buda!
De agora em diante, vou renunciar às horríveis algemas do apego emocional,
E trazer à cena o amor benevolente e genuíno;
De agora em diante, vou distanciar-me do sofrimento,
Causado por alternar entre amor e ódio,
E criar uma vida de compaixão e sabedoria.

Rezo para que, de agora em diante:
O afeto e o amor ao Dharma transbordem
E tranquilize a vida de todas as pessoas;
O afeto e o amor ao Darma preencham todo o universo
E motive a carreira de todas as pessoas.

Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a minha prece mais sincera!
Ó grande e compassivo Buda!
Por favor, aceita a minha prece mais sincera!

O que o Templo Fo Guang Shan Lisboa e a BLIA estão a fazer perante o COVID-19

Para auxiliar a contenção da pandemia, o templo encontra-se encerrado a partir do 15 de Março, até novas indicações que permitam encontros em segurança (poderás ler aqui o anúncio).

No entanto, queremos sempre auxiliar a nossa comunidade e também todos aqueles que têm um interesse pelo Budismo.

Para isso, vamos publicando gratuitamente ensinamentos do Ven. Mestre Hsing Yun, para que possam ir cultivando a sabedoria e compaixão. Além de consultarem o nosso blog frequentemente, podem também ir à página onde vamos colocando os ebooks da série “Budismo a cada passo“.

Vamos também publicando videos com mantras e cerimónias, para que possam acompanhar o espírito e ensinamentos de Fo Guang Shan.

Desejamos a todos nos nossos amigos e associados, muitos dias de saúde, compaixão e serenidade.

A Mi Tuo Fo.

Anúncio

 Saudações a todos,

Tendo em vista a situação do COVID-19 que estácada vez mais grave no mundo e em Portugal, a OMS anunciou que a nova pneumonia é uma pandemia global.Para cooperar com o anúncio do governo português de suspensão da escola em todos os níveis, advocacia para reduzir a interação social, evitar festas e ficar longe de casa, etc., para a saúde pública, as medidas relevantes do templo são as seguintes:

1.O templo estaráfechadotemporariamente a partir de 15 de março (domingo) .Quando a situação da epidemia melhorar, a data de abertura será anunciada.

2.Durante o período de suspensão, as sessões de meditação aos domingos, osrituais das lanternas brilhantes, os méritos para a construção de templos e os rituais de Qingming serão canceladas. Os discípulos são convidados a praticar em casa.Seprecisar de vir ao templo,contacte-nospor telefone ou WeChatpreviamente.

3.No dia 5 de abril,vai ser os rituaisQingming, os donativos para transferência de méritos dos antepassados e dos discípulos, podem ser feitos por transferência.

4.Durante a prática em casa,o público é incentivado a orar oSutraPrajna

do Coração para que o Dharma ajude a todos sentiremà vontade e longe do terror.

5.No período da crise global contra epidemias, lembre a todos de se protegerem: saiam, lavem as mãos com frequência, aumentem aimunidade, ventilação regular, maiscomida vegetariana,pratiqueme oremem casapara voltarmos todosjuntos epara que as pessoas estejam seguras e a sociedade esteja feliz.

Atenciosamente, 

Templo Fo Guang Shan Portugal

2020.03.14

Podem ler este anúncio em PDF aqui…

Budismo, Medicina e Saúde, um ebook

Desde a origem do mundo, nascimento, envelhecimento, doença e morte são inevitáveis. O príncipe Siddhartha conheceu essa verdade quando se aventurou além do palácio e visitou a área pobre da cidade. Lá, entre mendigos, doentes e idosos frágeis, ele viu a realidade da vida. Imediatamente, um desejo surgiu no seu coração para aliviar a dor e o sofrimento dessas pessoas. Assim, ele renunciou à sua vida de luxo e tornou-se monge, esperando que, através da meditação e cultivo, ele pudesse encontrar soluções para as pessoas pobres e doentes.

Podes fazer download do ebook em PDF aqui…

Desde o início, o Buda (ex-príncipe Siddhartha) percebeu que, assim como alguém pode sofrer de doenças físicas, também pode sofrer de uma mentalidade pouco saudável. Para curar doenças do corpo e da mente, o Buda dedicou toda a sua vida a transmitir o conhecimento da Tripitaka. Enquanto o Buda procurava curar doenças físicas e mentais, uma ênfase maior era colocado na mente. Ele usou o conhecimento do Dharma para curar doenças que surgem dos três venenos: ganância, raiva e ignorância. O remédio do Buda trata doenças originadas na mente dos pacientes, curando-os desses venenos. Os psicólogos também tratam doenças ao trabalhar com o estado mental dos seus pacientes, mas o seu tratamento difere da prática budista de tratar a mente. Segundo o budismo, o puro e maravilhoso Dharma é o remédio perfeito para uma mente enferma e para um corpo doente.

Manter a mente e o corpo saudáveis é importante, pois o corpo é o veículo que usamos para praticar o Dharma. Como todas as coisas, a mente e o corpo são interdependentes, a saúde da mente influencia a saúde do corpo e a saúde do corpo influencia a saúde da mente. Usando o corpo saudável como uma ferramenta, podemos cultivar um coração compassivo e uma mente clara. Com uma mente cultivada, somos capazes de nos examinar, ver claramente a natureza dos nossos problemas e trabalhar para resolvê-los. Abordaremos então o caminho para a verdadeira saúde.

Podes fazer download do ebook em PDF aqui…

Tornar-se um Bodhisattva – um ebook

Frequentemente, ao falar sobre os Bodhisattvas, pensamos imediatamente nas estátuas de barro ou madeira às quais prestamos os nossos respeitos nos templos, ou evocamos imagens de pinturas ou esculturas que vimos desses indivíduos iluminados. A maioria das pessoas pensa nos Bodhisattvas como divindades que têm muitos poderes sobrenaturais e que são místicos, além do alcance da visão humana. Pensamos nos Bodhisattvas como seres que têm o toque de Midas, que são capazes de comandar o vento, a chuva e podem trazer-nos riqueza. Na verdade, os Bodhisattvas não são divindades que estão acima de nós ou além da nossa compreensão, a presença do Bodhisattva não está distante, mas bem aqui presente entre nós. Os Bodhisattvas não são ídolos a quem fazemos oferendas e prestamos respeito. Um verdadeiro Bodhisattva pode ser encontrado entre nós, pois um verdadeiro Bodhisattva é alguém rico em compaixão e mais sincero em libertar todos os seres sencientes dentro dos seis reinos da existência.

Ao longo da história, houve muitos exemplos de homens e mulheres que realmente viveram no espírito de um Bodhisattva. Por exemplo, o mestre Ouyi da dinastia Ming era um dos quatro mestres célebres da época, conhecido pela sua estrita observância dos preceitos. Embora fosse um bhiksu bem cultivado e uma figura-chave no budismo chinês, não se considerava um bhiksu, ao invés disso, ele considerava-se Bodhisattva. Mais recentemente, há o exemplo do Mestre Taixu, conhecido pela sua compaixão e dedicação em revitalizar o budismo chinês. Ele disse uma vez sobre si mesmo: “Eu não sou um bhiksu, nem me tornei um Buda; ao invés, espero ser chamado de Bodhisattva.” Assim, podemos ver que é mais aceitável chamar alguém de Bodhisattva do que tratar alguém como um bhiksu. Há também o exemplo contemporâneo do mestre Cihang, que jurou que, como testemunho da sua realização, o seu corpo físico não pereceria após a morte. Quando ele estava vivo, ele gostava de ser tratado como um Bodhisattva. Após a sua morte, o corpo, de fato, não pereceu e ainda é mantido em Xichi para que as pessoas prestem respeito. Para honrar o seu desejo, ele é chamado de “Cihang Bodhisattva”, o que significa que ele é um Bodhisattva de compaixão e pode transportar-nos através do mar do sofrimento.

A partir dos exemplos acima, podemos ver que todos podemos tornar-nos Bodhisattvas, desde que tenhamos o compromisso de “procurar o Caminho de Buda e libertar todos os seres”. 

Ven. Mestre Hsing Yun

Podes fazer o download do PDF aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Jantar de Convívio para o Ano Novo em Lisboa

No dia 19 de Janeiro tivemos uma cerimónia no Templo Fo Guang Shan em Lisboa, seguido de um jantar de convívio preparado pelos diligentes membros da BLIA.

O tema deste ano é Toda a Jornada neste Mundo é um Caminho para a Felicidade.

Queremos agradecer à Ven. Mestre Chueh Yann, à Presidente da BLIA srª Fu e a todos os membros pela sua bondade, carinho e amizade com que a todos acolheram.

Muito obrigado à nossa supervisora Elisa, por nos auxiliar atentamente na confeção de tão maravilhoso jantar.

Convívio e Celebrações do Ano Novo Chinês

Queremos convidar todos os membros, amigos e pessoas interessadas no Budismo a participar nas nossas atividades para o Ano Novo Chinês.

Programa para o Ano Novo Chinês

Dia 18

Celebração do Ano Novo Chinês na Alameda

Dia 19

16:30 – prática semanal

18h00 – Jantar de convívio do Ano Novo Chinês, Templo Fo Guang Shan

Dia 24

21:30 cerimónia final do ano

23:00 – primeira prática do ano

Dia 25

07:30 Cerimonia de homenagem para mil Budas,

11:00 – Cerimónia de Oferenda aos Budas

Dia 26

16:30 Cerimónia de Homenagem para mil Budas

Recolha de bens para doação à CASA

No dia 19 de Dezembro de 2019, foi entregue à CASA um conjunto de roupas, impermeáveis, calçado, roupa interior, 3 mochilas de campismo e uma tenda.

Esta foi uma iniciativa da Sub-Delegação Portuguesa de BLIA, um projeto que é também realizado por outros grupos da BLIA. A iniciativa foi realizada em parceria com o CENIF e os seus alunos.

O nosso agradecimento à Soraia Tender, a todos os alunos que entregaram as suas doações e à Mestre Jue Yann.

Lu Xun, no seu poema “O tempo é vida” dizia:

A mente aberta deve ter o seguinte espírito:
Encarar a miséria com um sorriso.
Encarar a adversidade com grande coragem.

Tempo é vida.
É desnecessário dizer que desperdiçar o tempo dos outros
Não é diferente de roubar ou matar.

Os primeiros dias da minha vida estão agora mortos;
Eu estou alegre pela sua morte
Porque é assim que eu sei que vivi.

O meu passado sem vida está agora apodrecido.
Eu estou feliz pelo seu apodrecimento
Porque é assim que sei que não foi vazio.

Um prédio gigante surge de pequenos pedaços e peças
de madeira e pedra,
Porque não nos tornamos nesses pequenos pedaços e peças?
É por isso que eu sempre faço algumas tarefas inconsequentes.

Lu Xun – 365 Days for travelers, Ven. Mestre Hsing Yun

Apresentação na Fundação Oriente de Buda Shakyamuni, uma biografia

Domingo | 17 Novembro | Auditório | 16.00 | Entrada gratuita
Por João Magalhães (autor do prefácio) e Mestre Jue Yann

«Esta não é apenas uma biografia, mas um oceano de sabedoria que nos guia para além do sofrimento.”
João Magalhães, BLIA Elder Advisor

A história da jornada épica do Buda Shakyamuni para a iluminação é talvez a narrativa mais importante da tradição budista.
Nesta obra são descritas todas as dificuldades, bem como os triunfos e a compaixão sem limites deste percurso. Ao longo de 47 capítulos, o leitor fica a conhecer toda a vida do Buda, desde o seu celebrado nascimento e juventude privilegiada até à renúncia dos desejos e ilusões, bem como a sua iluminação, as décadas seguintes que passou a ensinar e, por fim, o alcançar do nirvana final.
Baseado em fontes bibliográficas ancestrais e fidedignas, Buda Shakyamuni: Uma Biografia revela-se uma narrativa singular que apresenta de forma clara e apelativa toda a trajetória de vida do Buda. Publicada pela primeira vez em mandarim, esta imprescindível obra do Venerável Mestre Hsing Yun está finalmente disponível em Portugal. Assim, serão cada vez mais os que através deste conhecimento se aproximarão dos verdadeiros e maravilhosos ensinamentos do Grande Mestre Primordial: o Buda.

Duração 75’, sem intervalo
Entrada gratuita, mediante levantamento prévio de bilhete no próprio dia
Co-organização | Buddha’s Light International Association 

Fonte: Fundação Oriente