A perspetiva budista dos direitos das mulheres – um ebook

Neste mundo, tudo se expressa pelos seus próprios termos e à sua maneira. Por exemplo, a água é suave e, no entanto, também pode ser extremamente poderosa. As flores são delicadas e bonitas, mas é exatamente por isso que elas são atraentes. Quando as crianças não conseguem o que querem, costumam chorar para convencer os pais. Chorar é o modo como as crianças expressam o seu ponto de vista. Os homens usam fatos de negócios, sapatos finos de couro e caminham carismáticos. As mulheres também querem expressar o seu apelo inato, a beleza.

A beleza não é apenas uma visão superficial do físico. Uma mulher pode expressar a sua beleza através da generosidade, meticulosidade e diligência. Cada uma dessas características pode ser uma expressão da singularidade e da substância interior de uma mulher. O importante é saber como expressar essas características. A situação é semelhante a alguém que cultiva a prática budista – essa pessoa também deve aprender a expressar a sua compaixão e paciência, porque compaixão e paciência são os seus pontos fortes.

A perspetiva budista dos direitos das mulheres – Ven. Mestre Hsing Yun

Podes baixar o PDF deste ebook aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.


O Sutra do Diamante e o Estudo da Sabedoria e do Vazio

O assunto deste livro é o Sutra do Diamante e o estudo da sabedoria (prajna) e do vazio (sunyata). O vazio não pode ser expresso em palavras.

No entanto, para perceber a sabedoria e a natureza do vazio, precisamos recorrer a alguns meios para falar sobre ambos.

Embora o que falamos não seja realmente nem sabedoria nem vazio, se puder nos dar uma aparência deles, será de grande ajuda para nós.

Podes ler o PDF ou fazer download aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

A Essência do Chan, um ebook

Entre os oitenta e quatro mil ensinamentos do Budismo, o Chan é o que nos traz mais entusiasmo por estudar e debater, nos nossos dias. Apesar de confinado ao Leste, local da sua origem, o estudo da meditação Chan capturou a atenção e o interesse do Oeste. Por exemplo, muitas universidades nos Estados Unidos criaram grupos de meditação. É encorajador observar a meditação a espalhar-se dos mosteiros para o mundo moderno, onde está a desempenhar um papel muito importante.

Descrever o Chan não é uma tarefa fácil pois o Chan é algo que não pode ser falado ou totalmente expresso por palavras. No momento em que a linguagem é usada para explicar o Chan, já não estamos a lidar com o seu verdadeiro espírito. O Chan está além das palavras, no entanto, não pode ser deixado sem expressão.

Podes ler o ebook “A Essência do Chan” aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

O Grande Buda – um ebook

Assim como as crianças devem conhecer os seus pais, os estudantes de Buda devem conhecer o Buda. Alguns podem dizer: “Ah, sim, eu conheço o Buda. Eu já vi as estátuas dele por todo o lado.” Mas conhecemos o Buda apenas porque vemos estátuas? Não, certamente que não. É comum que os budistas sintam, lamentavelmente, ter nascido tanto tempo após o nirvana final do Buda e não terem tido a oportunidade de conhecer Buda. É muito lamentável que os estudantes de Buda não saibam como era realmente o Buda.

Alguns podem pensar que Buda é um imortal todo-poderoso com poderes sobrenaturais que pode aparecer e desaparecer sem deixar vestígios. Se achas que este é o Buda que vou partilhar contigo, ficarás desapontado. Podes pensar que Buda é um ser cheio de bondade amorosa que concederá o que pedires nas orações. Este também não é o caso. Acredito que a maioria das pessoas prefere o Buda sentado no altar de pernas cruzadas – sereno, pacífico, quieto e parado.

Se Buda falou e instruiu-nos dizendo “Não faças isso” ou “Não é assim”, talvez não gostemos tanto dele. Talvez porque como Buda não nos critica e não nos censura ou discute conosco, é que nos sentimos atraídos por ele. Nós respeitamos e inclinamo-nos para ele.

Felizmente, podemos aprender mais sobre o Buda, sobre as nossas vidas, ao observar as formas pelas quais ele lidou com experiências e situações durante a sua própria vida. Portanto, primeiro irei apresentar brevemente a história da vida de Buda, antes de examinar como ele lidou com os problemas e experiências comuns do dia a dia.

Ven. Mestre Hsing Yun.

Podes fazer o download do PDF do livro O Grande Buda, aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Budismo e Psicologia – um ebook

Psicologia é a ciência da mente que engloba a investigação das atividades mentais na vida humana. No Ocidente, teve a sua origem na ciência médica, filosofia, ciências naturais, religião, educação, sociologia e estende-se à miríade de muitas outras disciplinas e práticas. Na sociedade contemporânea, a psicologia é aplicada à educação, indústria, negócios, saúde, defesa nacional, lei, política, sociologia, ciência, artes e mesmo desporto.

A psicologia examina as funções da mente e os modos de comportamento humano. Os psicólogos ocidentais trabalham para estudar o desenvolvimento da personalidade e as determinantes do comportamento. Devido às suas limitações inerentes, a psicologia ocidental tem apenas um sucesso parcial na transformação e melhoria da personalidade. O Budismo, por outro lado, compreende muito profundamente a natureza psicológica do ser humano e desenvolveu métodos de tratamento eficazes. Como revelado no Sutra Avatamsaka, o Sutra da Guirlanda de Flores, “A nossa perceção dos Três Reinos surge da mente, assim como os Doze Elos da Génese Condicionada; O nascimento e a morte emanam da mente, extinguem-se quando a mente cessa”.

A análise da mente no Budismo é multifacetada e sofisticada. Como uma prática espiritual, o Budismo contém inúmeras descrições da natureza e funções da mente, assim como instruções de como procurar, aceitar e refinar. Assim, a Psicologia Budista tem muito a oferecer, tal como a Psicologia ocidental.

Podes fazer o download do PDF do livro Budismo e Psicologia aqui

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Budismo e Vegetarianismo – ebook

Muitas pessoas veem o vegetarianismo como a marca do budismo, mas na verdade, quando o budismo foi transmitido, em primeiro lugar, da Índia para a China não era exigência alguma de que os monges não comessem carne. No Maha parinirvana Sutra , Buda disse: “Os que comem carne destroem a sua semente de compaixão.” Assim, as gerações posteriores advogaram o vegetarianismo para praticar o espírito de compaixão. Na China, o Imperador Wu de Liang dinastia escreveu o “Ensaio sobre o vinho e a carne” para cultivar a compaixão e recomendar que toda a ordem monástica assuma o vegetarianismo. Ele encorajou os leigos a tornarem-se vegetarianos também. Foi somente a partir desse momento que o budismo e o vegetarianismo se tornaram tão intimamente entrelaçados.

A razão pela qual o vegetarianismo foi capaz de se espalhar na China foi devido à influência do confucionismo. Os Confucionistas defendiam bondade e a piedade filial. O grande pensador confucionista Mencius disse:

Tendo visto um animal vivo, não se pode suportar vê-lo morto; tendo ouvido o seu clamor, não se pode suportar comer a sua carne. É por isso que as estadias de um cavalheiro são longe da cozinha.

Além disso, na filosofia confucionista, as crianças devem usar pano, manter uma dieta vegetal e abster-se de vinho e carne durante o período de luto após a morte de seus pais. Mesmo durante os principais ritos sacrificiais, as pessoas também se devem manter numa dieta vegetariana e banharem-se ritualmente, de modo a demonstrar respeito pelos espíritos. Após a sua transmissão para a China, as práticas budistas de não matar e libertar animais do cativeiro combinaram-se com a ênfase confucionista na bondade para espalhar ainda mais o vegetarianismo.

Muitas pessoas veem o vegetarianismo como a marca do budismo, mas na verdade, quando o budismo foi transmitido, em primeiro lugar, da Índia para a China não era exigência alguma de que os monges não comessem carne. No Maha parinirvana Sutra , Buda disse: “Os que comem carne destroem a sua semente de compaixão.” Assim, as gerações posteriores advogaram o vegetarianismo para praticar o espírito de compaixão. Na China, o Imperador Wu de Liang dinastia escreveu o “Ensaio sobre o vinho e a carne” para cultivar a compaixão e recomendar que toda a ordem monástica assuma o vegetarianismo. Ele encorajou os leigos a tornarem-se vegetarianos também. Foi somente a partir desse momento que o budismo e o vegetarianismo se tornaram tão intimamente entrelaçados.

A razão pela qual o vegetarianismo foi capaz de se espalhar na China foi devido à influência do confucionismo. Os Confucionistas defendiam bondade e a piedade filial. O grande pensador confucionista Mencius disse:

Tendo visto um animal vivo, não se pode suportar vê-lo morto; tendo ouvido o seu clamor, não se pode suportar comer a sua carne. É por isso que as estadias de um cavalheiro são longe da cozinha.

Além disso, na filosofia confucionista, as crianças devem usar pano, manter uma dieta vegetal e abster-se de vinho e carne durante o período de luto após a morte de seus pais. Mesmo durante os principais ritos sacrificiais, as pessoas também se devem manter numa dieta vegetariana e banharem-se ritualmente, de modo a demonstrar respeito pelos espíritos. Após a sua transmissão para a China, as práticas budistas de não matar e libertar animais do cativeiro combinaram-se com a ênfase confucionista na bondade para espalhar ainda mais o vegetarianismo.

Podes fazer download do PDF deste ebook aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Este livro foi traduzido e publicado no âmbito de Lisboa Capital Verde 2020, como um incentivo à proteção ambiental e consciência ecológica. É uma iniciativa da BLIA e Templo Fo Guang Shan.

Proteger o nosso meio ambiente – um ebook

O século XXI é considerado o século da proteção ambiental. É fácil de compreender porquê. A poluição ambiental e destruição ecológica atingiram o ponto em que se tornaram graves ameaças para a saúde da humanidade. No entanto, a consciencialização para esta questão, tem vindo a crescer desde há algum tempo.

Proteger o nosso Meio Ambiente, uma perspetiva budista

Desde o United Nations’ “Earth Summit” em 1992, houve um crescimento internacional no suporte à conservação e proteção ambiental.

Enfrentar o desafio de fazer a nossa parte para proteger o meio ambiente, a fim de dar às gerações futuras uma oportunidade justa de viver, trabalhar em paz e felicidade num planeta saudável e próspero, tornou-se a principal preocupação ética e científica para os que vivem neste século.

O budismo tem muito a dizer sobre este tópico, pois é uma religião que sempre incorporou a ética da tomada de consciência e proteção ambiental. Os sutras budistas, os ensinamentos sagrados, que remontam a 2.500 anos, recordam-nos para não apenas que amarmos os nossos vizinhos, mas também ensinam-nos a amar o nosso meio ambiente. Os sutras ensinam-nos que todos os seres vivos têm a natureza de Buda[1], e que todo o ser, sensível ou não, tem a mesma sabedoria, perfeita e inerente. Há uma história dos sutras sobre um bodhisattva[2] que amava tanto o meio ambiente que se preocupou por poluir o planeta toda vez que descartava um bocado de papel. Ele  preocupava-se em alarmar o planeta sempre que pronunciava uma frase e preocupava-se em arranhar o chão todas as vezes que dava um passo. A atenção profunda e vigilante do ambiente deste bodhisattva dá-nos um exemplo valioso a imitar.


[1] 1. A natureza primitiva inerente à qual a iluminação é um processo de descoberta.

[2] 2. Um praticante budista que prometeu se tornar um Buda para libertar todos os seres.

Doze diretrizes para proteger o nosso Meio Ambiente

  1. Fala suavemente – evita incomodar os outros.
  2. Mantém o chão limpo – elimina o lixo.
  3. Mantém o ar limpo – não fumes ou poluas.
  4. Respeita-te a ti mesmo e aos outros – evita cometer atos violentos.
  5. Sê educado – evita intrometer-te na vida nos outros.
  6. Sorri – evita encarar os outros com uma expressão de raiva.
  7. Fala gentilmente – evita proferir palavras abusivas.
  8. Segue as regras – não procures isenções ou privilégios.
  9. Cuida das tuas ações – evita violar as regras da ética.
  10. Consome conscientemente – não desperdices.
  11. Vive com um propósito – evita viver sem rumo.
  12. Pratica a bondade – evita criar pensamentos maliciosos.

Podes fazer download do PDF deste ebook Proteger o nosso Meio Ambiente aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Este livro foi traduzido e publicado no âmbito de Lisboa Capital Verde 2020, como um incentivo à proteção ambiental e consciência ecológica.

Projeções positivas para a vida – um ebook

Quando nos sentimos perdidos na vida e não temos certeza do que fazer, muitas vezes tentamos procurar uma resposta ou um conselho. 

O Venerável Mestre Hsing Yun é frequentemente convidado a dar um conselho ou a dizer algumas palavras de encorajamento.

Por esse motivo, ele narrou 108 frases de sabedoria com base nas suas experiências pessoais de vida. Ele deseja que tais frases inspirem a atenção correta e ajudem os leitores a perceberem que são o seu próprio mestre, que devem suportar as consequências dos seus próprios atos e que o futuro está nas suas próprias mãos.

Vale a pena ler e guardar estas palavras de sabedoria e compaixão, para a purificação da nossa mente e para uma vida mais positiva e feliz.

Projeções Positivas para a Vida

Podes fazer o download do PDF de Projeções Positivas para a Vida” aqui…

De forma a ser bem-sucedido, o caminho deve ser claro, os assuntos devem ser claros, a razão deve ser clara e a comunicação entre as pessoas deve ser clara.

Ven. Mestre Hsing Yun

Mereces ser feliz, porque és o teu próprio mestre.

Ven. Mestre Hsing Yun

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Quanto maior o teu coração, maiores as tuas conquistas.

Ven. Mestre Hsing Yun

O Sutra da Proteção Suprema – Maha-Mangala Sutta

O Sutra da Proteção Suprema ou Maha-Mangala Sutta é um discurso, ensinamento de Buda sobre como agirmos, mudando o nosso comportamento, para que possamos alcançar a felicidade, a proteçao suprema.

Podes ler aqui o PDF: Sutra da proteção suprema – PT

Sutra da Proteção Suprema

Maha-Mangala Sutta

Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no mosteiro de Anathapindika. Então, quando a noite estava bem avançada, uma certa deva com belíssima aparência, iluminou todo o Bosque de Jeta, aproximou-se do Abençoado. Ao aproximar-se homenageou o Abençoado e ficando em pé a um lado a deva disse:
Muitos devas e seres humanos
Pensam na proteção,
Desejam a felicidade,
Diga então, qual é a proteção suprema.

O Buda:
Não se associar com os tolos,
Associar-se com os sábios,
Demonstrar respeito àqueles dignos de respeito:
Essa é a proteção suprema.

Viver num local civilizado,
Ter realizado méritos no passado,
Portar-se de maneira correta:

Conhecimento amplo e habilidade,
Bem treinado na disciplina,
Boas palavras:
Essa é a proteção suprema.

Sustentar o pai e a mãe,
Zelar pela esposa e filhos,
Consistência no trabalho:
Essa é a proteção suprema.

Generosidade, viver em retidão,
Auxiliar a família,
Praticar ações que sejam irrepreensíveis:
Essa é a proteção suprema.

Evitar e abster-se daquilo que é mau;
Abster-se do que seja intoxicante,
Estar atento às qualidades da mente:
Essa é a proteção suprema.

Respeito e humildade,
Satisfação e gratidão,
Ouvir o Dhamma em ocasiões oportunas:
Essa é a proteção suprema.

Paciência e observância,
Visitar os contemplativos,
Discutir o Dhamma em ocasiões oportunas:
Essa é a proteção suprema.

Autocontrole, celibato,
Compreender as Nobres Verdades,
Realizar o desapego:
Essa é a proteção suprema.

Uma mente quando tocada
Pelas vicissitudes do mundo,
É inamovível, livre da tristeza, sem pó, em descanso:
Essa é a proteção suprema.

Sempre invencíveis,
Quando agem desta forma,
As pessoas vão a todo o lado bem,
Essa é a proteção suprema.

Podes ler aqui: Sutra da proteção suprema – PT