Caligrafia “Um só traço”

O Venerável Mestre Hsing Yun nasceu em Jiangdu, China, em 1927. Foi ordenado em 1941 e é o 48º Patriarca da escola Linchi (Rinzai) Ch’an. Em 1949, no meio da turbulência da guerra civil, foi para Taiwan.

Em Taiwan, ele fundou a Ordem Budista Internacional Fo Guang Shan. E começou a cumprir o seu velho voto de promover o Budismo Humanista, que leva a sério a prática na vida diária. Com o ênfase de realizar a nossa natureza verdadeira no aqui e agora, neste precioso nascimento humano e neste mundo.

O Venerável Mestre Hsing Yun é um escritor prolífico e escreveu mais de 100 livros em chinês. Os seus escritos foram traduzidos para inglês e muitas outras línguas. Os seus trabalhos sobre a vida de Buda Shakyamuni e o Dicionário Budista de Fo Guang Shan, com dezasseis volumes, receberam o prémio mais alto dos Prémios Humanitários de Taiwan.

Aos 70 anos, a visão do Venerável Mestre Hsing Yun tornou-se mais desfocada, depois de complicações devido à diabetes. As suas mãos também começaram a tremer. Ele pensou nos seus leitores, amigos e organizações que frequentemente lhe pedem as suas palavras. De pleno coração, decidiu mergulhar o seu pincel na tinta e tentar completar as suas palavras com um só traço. Desde então esta é chamada a “Caligrafia de um só traço”.

A abertura do olho da mente

A “Abertura do Olho da Mente” é uma palestra realizada pela Venerável Jue Ji, directora da Chinese Buddhist Studies of University of West, no templo Hsi Fang.

A palestra é baseada no livro do Venerável Mestre Hsing Yun, com o mesmo nome, sobre o fundamento do Budismo – as quatro nobres verdades, o nobre caminho óctuplo, os três selos do Dharma, que advogam que todos os seres humanos têm uma natureza de Buda e que devemos corajosamente enfrentar o nosso medo e dúvida, desapegando-nos dos desejos, para que possamos valorizar as nossas vidas e fazer brilhar a humanidade em glória.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

“Fazei com que a luz de Buda brilhe pelos três mil reinos, e que as águas do Dharma fluam continuamente pelos cinco continentes”

Buddha’s Light International Association tem o prazer de comunicar a recente criação da subdelegação portuguesa, com sede no Templo Fo Guang Shan na rua da Centieira, nº35 em Lisboa. Assim se dá corpo à vontade do nosso mentor, o Venerável Mestre Hsing Yün de “fazer com que a luz de Buda brilhe pelos três mil reinos, e que as águas do Dharma fluam continuamente pelos cinco continentes”.

Neste blog publicaremos “posts” de diversas naturezas que visam a divulgação do Dharma – o ensinamento de Buda Shakyamuni, dos ensinamentos do Venerável Mestre Hsing Yün e das actividades da BLIA em Portugal. Esperamos, desta forma, auxiliar a acender a luz do Dharma. Que ela brilhe nas dez direções e pelos três tempos por muitos kalpas.

maste_thumbrComo primeiro “post” gostaríamos de dar a conhecer o Ven. Mestre Hsing Yün e a sua obra numa curta biografia:

“O Venerável Mestre Hsing Yün nasceu em Jiangdu, na província de Jiangsu na China. Em 1927, com doze anos de idade, foi tonsurado sob a orientação do Venerável mestre Zhikai da Montanha de Qixia em Nanquim. Estudou na Escola Vinaya de Qixia e na Faculdade budista de Jiaoshan e tornou-se no 48º patriarca da Escola Chan de Linji. Tornou-se o reitor da Escola Primária de Baita, redator-geral da publicação “Raging Billows Monthly” e abade do templo de Hua Zang em Nanquim.
Na Primavera de 1949 chega a Taiwan. Torna-se o redator-geral da Revista “Human Life”, da “Awakening World” e da “Today’s Buddhism”. Em 1952, estabeleceu a Associação de Canto Budista no templo de Yilan, em Lei Yin; o grupo de propagação do Dharma, incluindo organizações de estudantes e jovens, e a Escola de Domingo para crianças que iriam criar a base da futura empresa Budista na propagação do Dharma. Em 1967, funda a ordem budista Fo Guang Shan (“Montanha da Luz de Buda”). No esforço de passagem da cultura budista foram criados por todo o mundo mais de duzentos templos, como os templos de Hsi Lai na América do Norte, o templo de Nan Tien na Austrália e o templo de Nan Hua em África. Criou também galerias de arte, bibliotecas, editoras, livrarias, escolas de Língua Chinesa, a Universidade Tsung Lin, escolas preparatórias e secundárias, a Universidade do Oeste, a Universidade Fo Guang Shan, a Universidade Nan Hua e a Universidade Nan Tien. Desde 1970, foi também fundado por si um lar para crianças, um lar para idosos membros de Fo Guang; a Clínica Nuvem e Água, e cerca de dez escolas primárias e preparatórias Fo Guang ; hospitais na China onde se educam os mais jovens, se tratam os mais velhos e se apoiam os mais fracos e pobres. Desde que saiu do posto de abade de Fo Guang Shan em 1985 foi criada a BLIA (Buddha’s Light International Association) de Chungwa. A 16 de Maio de 1992, a sede da BLIA foi criada e o Venerável Mestre tornou-se o seu presidente. Até à data presente, já existem cerca de 200 capítulos pelos cinco continentes com mais de um milhão de membros. Em 2003 recebeu o estatuto de Organização não Governamental (ONG) pelas Nações Unidas. Desta forma tem vindo a cumprir o desígnio dos ideais do Budismo Humanista- ‘Fazei com que a luz de Buda brilhe pelos três mil reinos, e que as águas do Dharma fluam continuamente pelos cinco continentes’.”